Inquisição cenica religiosa: o trabalho do artista e ator cristão na pespectiva do estranhamento

         1 – ESTRANHAMENTO, O QUE É?
         Impossível falar de teatro na perspectiva da igreja sem mencionar a figura de Bertold Brecht, o teatrólogo alemão define um panorama dentro das artes cênicas: enquanto, Stanislaviski trata da figura do ator enquanto ser que mergulha totalmente, Brecht diz o contrario que teatro não é ilusão, Brecht parte de uma conclusão para analisar a explicação.
         Bertold  Brecht na Alemanha pré- guerra, se inspira no expressionismo, e resgata da Rússia antes do comunismo, uma técnica é a aprimora, inspirado em  linhas:


               Erwin piscator, que traz a luz ao teatro político e o teatro épico.
               O efeito de “afastamento” da Rússia pré- comunista.
               A teoria biomecânica, e o teatro de vsevelod meyerhold que rompe com o naturalismo stanislaviskiniano e o realismo psicológico do mesmo.
               O trabalho de cineastas como Sergei Einsenstein.

         Partindo dessas idéias Brecht, rompe com o conceito aristotélico de teatro e cria o que chamamos de teatro épico, ele o aperfeiçoa.
         Acima de todas as idéias sobre o trabalho do ator podemos crer :
               O não envolvimento emocional: o ator não é a personagem, ele apenas a representa.
               O teatro assume um papel ante-aristotelico (o conceito de inicio , meio e fim passam a não existe).
               A anti-ilusao: o teatro é entendido como arte, e ai surge o afastamento.
          Idéia do afastamento pode-se explicada em uma forma simples:
               Durante o espetáculo y a atriz h , no auge do envolvimento com a cena – se descontroi como personagem, e fala como  atriz emitindo o seu censo sobre o trabalho realizado, e sua analise sócio-politica.
         Para Bertold Brecht, o teatro precisa ser sócio político, não uma ilusão, partindo dessa idéia, o espectador sai da condição de ser passional, e passa a analisar embasado, na idéia que esta sendo apresentada.e muito comum no teatro Brechtiniano , o uso de projeções cinematográficas, o uso de cartazes, a deslinearidade da cena.é uma forma de teatro fantástica.
         Conceituado o teatro de Brecht, partiremos a analise do teatro da igreja evangélica brasileira – observando o afastamento como pano de pesquisa.
         O teatro na igreja brasileira sofre uma serie de problemas que precisa ser resolvidos:
         1 – o envolvimento emocional Culpativo: o problema mais serio, é que muitos artistas evangélicos atuam, e se envolve de uma tal forma, que pensam que seu personagem determinara sua vida.
         Analise: segundo Bertold Brecht, teatro é anti-ilusao, por isso o ator não deve se envolve emocionalmente com sua personagem.
         2 – “preparo espiritual: talvez, seja um problema  pior que o primeiro.o caso citado diz que o ator deve ser preparar pois se o mesmo fizer determinado personagem ele , poderá ser influenciado espiritualmente.se fizer algo que remeta ao mal, o ator poderá sofrer  conseqüências.
         Analise: konstantin stanislaviski, no final da sua vida, assumiu que havia errado bastante, que o envolvimento emocional atrapalharia o ator.o ator dentro da igreja precisa apenas de técnica, o envolvimento espiritual e para sua vida pessoal, para a vida artística precisa de técnica e aplicação.

         2 – ESTRANHAMENTO  E A INQUISIÇAO DENTRO DA IGREJA
         Fazer teatro hoje no século 21 dentro da igreja, é algo complexo. por uma serie de questões.quando falo de inquisição é quando nos artistas cristãos vamos buscar conhecimento, e existe a incompreensão dentro da igreja, “loucos, endemoniados, sem compromisso”.o trabalho do artista na igreja, fica difícil até porque não existe incentivo fiscal, apoio financeiro para se fazer uma peça, a confusão de diretor com líder, algo imensurável.um trabalho  difícil e muito criticado.
         O teatro na igreja sofre perseguição, desde o trabalho tênue, quando  os lideres da igreja não  gostam o torcem os olhos para o trabalho, eis a inquisição.
         A indignidade moral é imensa: quando pessoas dizem se afastar por que fez um determinado personagem, ou pela temática da peça serem muito tensa.
         O maior teatro nisso tudo, é a avaliação meta desse trabalho ( muitas igrejas que criam um canal de dialogo falando de demônio, céu, lúcifer) o teatro acaba refletindo esse patrimônio oral estabelecido  pela  igreja.
         Devemos lutar contra essa inquisição tentando buscar estética, qualidade, aperfeiçoamento.
         O estranhamento que proponho na analise técnica, e o ator cristão não se envolver emocionalmente, buscar, sempre como diria Brecht analisar criticamente sua obra de arte,pois a mesma possui uma função social e política, não divido o teatro em duas camadas:teatro evangélico e teatro secular,pensamento errôneo.o teatro é único a forma técnica que é diferente, ‘o teatro de linguagem evangélica”           .
         Se distanciar e olhar os fatos de fora, não se aproxima pensar criticamente. O ator precisar saber que ele não é o sua personagem, ele não é aquilo, ele  representa os fatos criticamente.
         Não dispenso stanislaviski, artaud, arrabal, piscator. O ator evangélico precisa estudar, pesquisar, e conceituar o que acha mais interessante para sua elaboração.
         Nossa base e o conhecimento da arte de interpretar, abolir a inquisição.
         Mais digo o ator cristão precisa ler muito, buscar  bases, para fazer um trabalho de qualidade e de continuidade sempre.
          Atuar é uma arte.

         (Isso é teatro – inquisição cênica religiosa: a perspectiva do estranhamento na vida do artista e ator cristão.)

Andre Kler

ATOR. PRODUTOR EXECUTIVO TEATRAL FORMADO PELA ESCOLA DAS ARTES TECNICAS (LUIS CARLOS RIPLLER). DRAMATURGO E PROFESSOR DE INICIAÇAO TEATRAL EM PROJETOS SOCIAIS.

Nenhum comentário: