OFICINAS NO #7CONGRESSO

OFICINAS

CRIAÇÃO DE PERSONAGENS E INTRODUÇÃO AS ESCOLAS TEATRAIS
Fernando Mendonça (Cia Arena de Cristo)
A Oficina:
Introduzir as escolas teatrais com enfoque na criação de personagens. Levar o ator ao entendimento do processo de introspecção e desenvolvimento artístico através da visão de cada autor teatral. O sistemas de criação de personagens estudados serão os dos teatrólogos Stanislasviski, Brecht e Boal.
O Oficineiro:
Fernando Mendonça é formado em Direito pela UFF. Integrante da Cia Arena de Cristo. Ator, Diretor e Pesquisador de Teatro.
 
CONTAÇÃO DE HISTÓRIA
Ana Paula Pardal
A Oficina:
Uma análise dos elementos que envolvem uma contação de histórias. Dada a devida importância a esses, a ligação entre eles é feita através de exercícios do teatro experimental, para que o aluno sinta e perceba a importância de vivenciar a contação de história como sendo parte viva e participante dela e não apenas como um transmissor de informação.
A Oficineira:
Desde 1987 na área artística, Ana Paula Pardal é formada em letras e atuou em espetáculos de caráter adulto e infantil. Ana é assistente de Coordenação Artística do Afroreggae, tem se dedicado ao trabalho de Contação de Histórias, com seu espetáculo infantil “Naná Conta História” como autora, diretora, atriz e produtora.
 
CRIAÇÃO DE HISTORIAS
Vinicius Baião
A Oficina:
A partir de imagens publicadas em jornais e revistas, o aluno será capaz de produzir uma história para teatro, aprimorando técnicas de composição de personagens a partir de sua função na trama, e sendo estimulado à construção dramatúrgica coletiva. 
O Oficineiro:
Graduado em Letras, com pós-graduação em Produção Cultural.  Ator, diretor teatral, poeta e crítico literário. Publicou Usucapião (Ibis Libris, 2008) e tem participação em diversas antologias literárias, destacando-se Vacamarela (coletânea trilíngue editada em ocasião do Tordesilhas - encontro Ibero-americano de poesia realizado em 2007, em São Paulo). Possui prêmios em diversos festivais de teatro pelo país nas categorias ator, diretor e dramaturgo. Escreve para a Revista Crase. 
 
DIRECAO DE ARTE
Leandro Fazolla
A Oficina:
NAO DISPONIVEL.
O oficineiro:
Mestrando em Arte e Cultura Contemporânea, no Instituto de Artes da UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Possui graduação em História da Arte - Bacharelado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2011).
 
MAQUIAGEM CÊNICA
Márcia Menezes
A Oficina:
O aluno aprenderá na prática a fazer maquiagem cênica de Queimaduras feitas com diversos materiais, feridas, técnica base para descaracterização (envelhecimento).
O oficineiro:
Pesquisadora e autodidata em maquiagem cênica. Cursando FAETEC. Desenvolveu técnicas com produtos mais acessíveis e muito eficazes. Maquiadora de Paixão de Cristo na Igreja Batista Nova Filadélfia em Campo Grande, Peças infantis para a Lona Cultural, na FEUC é maquiadora do Grupo de Teatro CAEL em Movimento.
 
MAQUIAGEM TEATRAL
Jean Oliveira (Cia El Shamah)
A Oficina:
O aluno aprenderá técnicas de maquiagem teatral para pantomima, palhaço e caracterização de terror. A oficina é toda pratica.
O oficineiro:
Líder e Diretor da CIA El Shamah - Formado na escola Nossa Senhora do teatro Fernanda Montenegro e SENAC RIO.
 
O “SER” PALHAÇO
Vinicius Zanon (Peteca e Cia)
A Oficina:
Através da arte do palhaço, inovar na construção e reconstrução de valores e personalidades, buscando assim, o resgate do indivíduo. Enfatizando em cada aspecto o que é, como age e os objetivos do “ser palhaço”. A oficina incita os participantes ao início de sua pesquisa sobre a construção da personagem palhaço. O arquétipo do palhaço é apresentado ao aluno para que assim ele posso através de jogos e pesquisa descobrir seu próprio palhaço.
O Oficineiro:
Vinicius Zanon é ator e clown. Artista formado em alguns cursos e estudante assíduo das artes trabalha com teatro e Palhaçaria a mais de 15 anos. Fez cursos como Nossa senhora do teatro, Lip d’ Calli, Lume Teatro e outros. Trabalhando desde 2010 na Cia dos três, a trupe de 4 palhaços (fundada por ele e mais 2 integrantes) desenvolveu a oficina: O “ser” palhaço.
 
OS DESAFIOS DA DIREÇÃO TEATRAL
Luiza Regina Reis (Arena de Cristo)
A Oficina:
Identificar e trazer à luz para debate, reflexão e experimentação com jogos teatrais os desafios da Direção de Teatro feito dentro da Igreja. Historia da direção teatral.
Utilização do Teatro – Fórum: Cria-se uma encenação baseada em casos reais, na qual personagens oprimidos e opressores entram em conflito, de forma clara e objetiva, na defesa de seus desejos e interesses. O espectador é estimulado a entrar em cena, improvisar como protagonista e buscar alternativas ao problema encenado.
O oficineiro:
Luiza Regina Reis é formada em Propaganda e Marketing, Especialista em Comunicação Empresarial, Publicitária, Coordenadora e fundadora do Ministério Arena de Cristo. Diretora,  atriz , autora da coleção de  livros virtuais  “O Último Ato” com textos teatrais e roteiro para cinema publicados em sites na net. Faz teatro dentro e fora da Igreja desde 1994.
 
PANTOMIMA: CONHECIMENTO E VERDADE
Luciano Santana (Cia El Shamah)
A Oficina:
Breve compartilhamento da história da pantomima observando sua necessidade e  praticidade / dicas e exercícios visando aperfeiçoamento da técnica / confiança e verdade nos gestos. Bibliografia: métodos e ideologias de estudos própria formada através de busca de informações nacionais e internacionais
O Oficineiro:
Integrante do ministério teatral interdenominacional El Shamah - formado pelo SENAC RIO.
 
PREPARAÇÃO DE ELENCO: O ATOR CÔMICO E O ATOR TRÁGICO
Gabriel Barros
A Oficina:
Visa demonstrar técnicas e percepções para o desenvolvimento de obras dentro do universo cômico e trágico. Desde preparação do corpo desse ator até mesmo o entendimento das nuances da comédia e da tragédia. O Corpo Poético; Os movimentos cômicos; Os movimentos trágicos; O ator e o espaço cênico.
O Oficineiro:
Pós-Graduado em Produção Cultural pela FGV-RJ. Iluminador pela IATEC. Formado Direção Teatral pela FAETEC. Especialização em Direção Cinematográfica na Darcy Ribeiro. Já encenou 75 espetáculos teatrais e 07 curtas. Coordena atualmente uma equipe de diretores teatrais em São Paulo e no Rio. Premiado como melhor diretor 03 anos seguidos no Festival Nacional de São Paulo – Semearte. E Prêmio de melhor direção geral de projetos sociais no Rio de Janeiro. Coordena e dirigi a ONG ECOA – Teatro Social, projeto que conta com 400 alunos-atores oriundos de várias regiões do Rio de Janeiro. Prepara elenco para diversas companhias e grupos teatrais.
 
TEATRO DE RUA
Nilcéia Figueiredo (Peteca e Cia)
A Oficina:
Exercitar o autoconhecimento do aluno através das artes. A partir de exercícios, discussões e inclusão artística, a oficina visa trabalhar a perspectiva do aluno sobre o que é o teatro de rua, suas possibilidades e as infinitas opções de trabalho nesse ambiente tão misto.
A Oficineira:
Formação Profissional Atriz popular, trabalha em rua com temas diversos de cunho sociais, desde 1994. Em 2004 formou-se na Escola Nacional de Circo, onde expandiu para este novo coletivo de técnicas seu trabalho teatral. Autora e diretora de diversos textos teatrais, construiu através da paixão pela cena circense, a Clown Peteca, que já esteve desvendando universos diversos, desde experiências transculturais á TV e Circos de Lona.
 
TEATRO E POESIA
Peter Franco (Peteca e Cia)
A Oficina:
A oficina visa condicionar o participante a utilizar a ferramenta do teatro e poesia em conjuntura. A oficina condiciona o ator a trabalhar o seu lado poético de forma verdadeira e natural. Exercitar o autoconhecimento do aluno através das artes. A partir de exercícios, discussões e inclusão artística, a oficina visa trabalhar a perspectiva do aluno sobre o que é a poesia e o teatro e sua relação. Daí direcionar o aluno a um nível de sensibilidade e aprendizado filosófico e profundo do fazer teatral.
O Oficineiro:
Ator, poeta, formado em filosofia, organiza os saraus Arte no Quintal, membro da Cia dos 3 e da Peteca e Cia, ambos grupos de teatro e circo. Membro do grupo de teatro Baluarte durante 12 anos (1999-2011). Trabalha exclusivamente com a poesia falada.
 
TREINAMENTO ENERGÉTICO
Filippe Lima (Cia Hupernikao)
A Oficina:
Aquecimento, Exercícios de Atenção e Concentração, Apresentação dos três planos (Alto, Médio e Baixo), Apresentação dos três movimentos (Vegetal, Mineral e Animal),  Posição Pantera, Lançamento de Energia, Exercícios de Tensão (trabalhando os extremos), Comentários e Avaliações e Conclusão.
O Oficineiro:
Líder da Cia de Artes Hupernikao desde a sua fundação (2010). Autor, diretor e ator de espetáculos da Cia entre outros projetos com grupos de teatro de diversas igrejas. Participou de oficinas de Teatro no Encontrart (SP), LUME (SP), Arena de Cristo(RJ), Acamparte (SP), Boa Companhia(SP), ONG Ecoa (RJ) e Théâtre du Soleil(França - durante a turnê da Cia francesa no Rio de Janeiro).